Botox: saiba tudo sobre esse procedimento

By 20 de dezembro de 2018Blog
Muito se fala sobre Botox por aí, mas será que tudo que ouvimos é verdade?

Botox: o que é, como funciona o tratamento e muito mais!

Botox é o assunto de hoje. Na verdade eu resolvi fazer uma coisa diferente, vou fazer algumas séries sobre diversos tratamentos, para a gente poder entrar mais em detalhes sobre algumas coisinhas, começando pelo Botox.  

Todo mundo fala sobre o Botox, muitas vezes falando sobre coisas que não são do Botox, então eu acho que também a gente vai diferenciar o que é Botox, o que não é, o que a gente trata com Botox e o que a gente não trata.

Eu vou falar sobre tudo o que é, todas as generalidades do Botox e depois eu vou entrar em detalhes sobre cada aspecto de cada tratamento que a gente pode fazer com ele.

O que é Botox?

Botox é um nome comercial para a toxina botulínica. Existem outras marcas, como Dysport, Prosigne, entre outras. Elas diferem em qualidade e em diversos outros aspectos, então cada médico tem uma toxina de escolha. No meu eu caso eu costumo usar Botox e Dysport.

Então a gente tem marcas diferentes e existem, também, diluições diferentes. Existem as diluições mais padrão e os bons médicos utilizam essa diluição padrão para não perderem qualidade, mas obviamente existem profissionais que podem diluir a mais.

Essa é uma pergunta que muitos pacientes fazem, dizendo que tem gente que põe muita água. E a gente tem que usar a água certa, o soro ou a água destilada e diluir mais uma toxina não é ético. Então a gente precisa zelar pela qualidade e diluir o tanto que o fabricante fala para diluir.

Outro aspecto que a gente tem que pensar na hora de fazer uma toxina é a técnica do profissional. No caso estou falando por mim, o Botox ele tem vários modos de aplicar, tem vários jeitos de fazer aplicações mais avançadas, áreas de rosto e corpo que são diferenciadas, então você precisa ter um estudo mais específico para conseguir fazer essas áreas. E mesmo as áreas padrão existem pequenos detalhes que fazem toda diferença no resultado de toxina.

Aplicações

A toxina botulínica tem diversos usos, inclusive acho que eu nem vou conseguir citar todos, porque realmente são muitos, tem usos estéticos e não estéticos. Em questão dos estéticos a gente faz Botox muito em rosto e ele pode ser feito no rosto todo. Porém, ao contrário do que a grande maioria das pessoas pensa, não é em todo o rosto. A toxina pode sim ser feita em lábios, pescoço em queixo, mas por motivos bem específicos.

Os tratamentos em geral de toxina a gente faz o terço superior, que é a testa, a glabela, área dos olhos e, quando o paciente tem de indicação, na área do nariz. Daqui para baixo a gente fala que é toxina avançada, a gente faz com objetivos específicos. Nessa região de boca normalmente se faz preenchimento e outros tratamentos, mas eu vou falar do Botox nessas áreas também.

Então a gente faz Botox em lábios, pescoço, queixo a gente faz Botox para enxaqueca, para dor de cabeça e o resultado é muito legal! A gente faz Botox para sudorese excessiva, que é a hiperidrose, para quem sua muito nas mãos e nas axilas, nos pés também, em qualquer área, na verdade até na virilha, inclusive.

Existe toxina para paralisia facial. O paciente que teve paralisia facial a gente faz para compensar essa hipermobilidade que o paciente fica na área que está movimentando em contradição com a área que não movimenta. Às vezes ele sorri demais e esse sorriso fica exagerado, entõ a gente tenta harmonizar os dois lados. Fica muito mais natural, fica muito bonito.

A gente faz Botox para bruxismo. Quem Range os dentes, que sofre com esse apertamento, esse rangimento que pode causar quebra de dentes, pode causar dor de cabeça, problemas de mandíbula, então existe Botox para bruxismo e é muito feito por odontologistas também essa áreas.

Existe Botox para afinamento facial. Quem tem o masseter muito hipertrofiado, muito grande, a gente pode fazer toxina para fazer um arredondamento do rosto, quando ele é muito quadrado.  

Uma indicação de toxina que não é bem específica, por exemplo, um paciente que tem contratura muscular por doenças degenerativas, um paciente com Parkinson, por exemplo, ele começa a ter uma contratura muscular muito grande e você faz Botox para soltar e melhorar a qualidade de vida dos pacientes.

Existem realmente muitas utilidades, inclusive para aparelho urinário, então realmente a indicação dele é muito ampla. Nós vamos tentar trabalhar naquilo que é mais específico para nossa área que é a parte estética e a parte de bem-estar.

Você já ouviu falar no efeito selfie? Ele tem levado as pessoas à loucura. Clique aqui para entender melhor.

Quais os riscos do Botox?

Outras coisas que eu acho que vale a pena falar neste primeiro momento é sobre os riscos do uso da toxina. A toxina botulínica é um medicamento e todo medicamento é dose-dependente, então a quantidade que a gente coloca é diretamente proporcional à qualidade do resultado, porém também é diretamente proporcional ao risco de efeitos colaterais.

Eu falo muito isso com os pacientes que estão começando a fazer Botox agora e até com os pacientes que já fazem Botox com outros médicos e estão começando a fazer comigo. Eu peço nesse primeiro momento paciência, eu faço a quantidade mínima necessária e deixo para ver no retoque se eu preciso fazer mais toxina. E mesmo sendo super regrada em relação à quantidade, já teve caso de fazer o mínimo necessário e ter efeito colateral.

Tem pacientes que são extremamente sensíveis a pequenas doses de toxina, então a gente tem que ser sempre muito cuidadoso. Depois que a gente começa a conhecer as pacientes, que já tem as doses anotadas, então fica mais fácil de já fazer aquela quantidade certa de primeira, sem precisar de ficar retocando.

Tem gente que chega na clínica falando que já fez Botox com vários médicos, muito bons e renomados, mas que nada fica bom. Eu vejo que esse paciente está pulando de galho em galho, cada dia vai em um médico diferente e ele não dá oportunidade para médico conhecê-lo, ele não consegue ter um prontuário de acompanhamento dessa pessoa. Aí fica difícil realmente.

A pessoa faz uma toxina, retoca e aí pronto, vai manter aquela quantidade. Na hora que a pessoa volta, eu vou fazer aquela quantidade que foi feita da última vez e se precisar de retoques já vejo na hora, até a gente aprender exatamente quanto a Maria usa, que é diferente da Joana, que é diferente do Manoel. Cada paciente tem sua dose, tem seu ponto, tem sua quantidade, então por isso é importante você ter um médico que você confie, que tenha qualidade técnica, qualidade de produto para te acompanhar e fazer o seu Botox a vida toda. O Botox de sucesso é aquele em que o paciente persiste com um médico de qualidade para conhecê-lo e consegui entregar um tratamento legal.

Efeitos colaterais e contraindicações

Em relação aos efeitos colaterais, eles são reversíveis. Assimetria, queda de pálpebra, diferenças entre os lados do rosto são riscos incomuns, mas que podem acontecer. Caso aconteçam, existem técnicas para fazer Botox sair mais rápido e você minimizar o tempo desse efeito colateral.

As contraindicações toxina são aquelas comuns: gestação, doenças descompensadas, problemas autoimunes e, especificamente, alergia a ovo. A toxina é carregada pela proteína Albumina, que tem no ovo. Então quem tem alergia a ovo, tem alergia a Botox e quem não tem alergia a ovo não tem alergia a Botox.

Outra coisa contraindicação que está sendo discutida e recentemente foi falada no congresso da Sociedade Brasileira de Pediatria é que durante a amamentação já é permitido fazer toxina. Na amamentação ela não é mais contraindicada.

Em relação aos efeitos colaterais são essas assimetrias, pode ficar algum roxinho porque é agulhada, então às vezes a gente pega algum vasinho. Algumas pessoas são mais sensíveis e ficam com umas bolinhas na hora que a gente faz a aplicação, alguns altinhos que rapidamente saem.

Existe a dor da aplicação que, comparando com a média, é uma dor extremamente suportável. Até hoje nenhum paciente falou para parar na hora da aplicação porque não estava aguentando. Alguns são mais sensíveis, mas outros dormem durante a aplicação, isso vai do limiar de dor de cada pessoa. É uma dor bem tolerável.

Em quanto tempo começa a fazer efeito?

Em relação ao prazo de início da ação da toxina, como funciona: a gente faz a toxina hoje e ao longo dos dias ela vai fazendo a paralisia daquela musculatura que foi aplicada. Então tem pacientes que no dia seguinte podem ter um início de paralisia e tem pacientes em que isso demora uns três dias.

Isso não quer dizer diferença de qualidade de toxina, isso não quer dizer diferença de qualidade aplicação, inclusive o mesmo paciente pode com o mesmo médico e o mesmo produto hoje ter o início de ação com 1 dia e, daqui 6 meses, um início de ação com 3 dias.

Essa diferença não é por conta da qualidade da toxina e nem o profissional é melhor porque a toxina pegou mais rápido, desde que ela pegue tudo que ela tem que pegar em um prazo de 15 dias, que é o prazo em que o paciente retornaria para a gente ver como ficou aplicação.

Esse início de ação é variável por diversas coisas que podem acontecer durante essa aplicação, com o paciente, com o local de aplicação, até com o metabolismo, o calor, tudo que  pode acontecer naquele período de uma semana inicial da aplicação.

Quanto tempo ela dura?

Em relação à duração de toxina, essa durabilidade é muito relativa. A primeira coisa que a gente tem que pensar em durabilidade é a qualidade dessa toxina. Se for uma toxina de qualidade, a segunda coisa que a gente tem que pensar é na técnica de aplicação. Se a técnica foi legal a terceira coisa que a gente tem que pensar é na quantidade utilizada. Mais não é melhor, o ideal para aquela pessoa é melhor.

Tem paciente que usa 20 unidades e fica bom, mas tem paciente que precisa usar 60 para ter o mesmo resultado. Se eu colocar 60 unidades no de 20, ele vai ficar com milhões de efeitos colaterais. Além de ficar horrível, a pessoa não vai movimentar. Isso vem muito da técnica do profissional.

O paciente que começou a fazer Botox agora, tem uma durabilidade, normalmente, menor, porque a musculatura do paciente é extremamente forte e essa musculatura vai voltar a contrair, porque você fica mandando mensagem para o seu cérebro falando que você precisa contrair aquela musculatura, você não acostumou ainda a não contrair aquela musculatura. Então você forma novas terminações nervosas mais rapidamente e isso que é o passar do efeito da toxina, é você fazer novas terminações que vão fazer a movimentação daquela placa motora.

Com o passar do tempo, à medida que você faz a toxina sempre, retornando e respeitando os prazos, você cada vez mais deixa essa musculatura fraca e você consegue ter uma maior durabilidade desse efeito de toxina.  

O objetivo que a gente tenta atingir é que o paciente volte a cada seis meses com um bom efeito. Nem sempre isso é possível, mesmo depois de muito tempo de aplicação, tem pacientes que não duram isso. Tem pacientes que realmente às vezes duram 4 meses, 4 meses e pouco. Isso depende do metabolismo, de atividade física, paciente que é míope e não usa óculos, então o tempo inteiro está contraindo os olho. Tem várias coisas que fazem essa durabilidade diminuir.

O importante é realmente estar em acompanhamento e sempre observando porque que durou menos, ou se sempre está durando menos, se realmente o seu prazo é mesmo diferente da maioria e manter essa aplicação. E sempre olhando aquelas outras coisas que eu falei no início: a questão da qualidade de aplicação, do método, do médico. Procure sempre um profissional de confiança.

Nos próximos posts eu vou falar sobre as coisas específicas de cada característica da toxina e de áreas de aplicação. Até lá!